Surgimento do Tarô






Existem várias lendas e histórias envolvendo a origem do tarô. A que mais parece estar próxima da verdade é a que consta que algum tempo antes de a Atlântida sumir, engolida pelo oceano, vários sábios, antevendo a inevitável tragédia, saíram procurando outros povos a fim de transmitir-lhes seus ensinamentos. Muitos desses sábios conseguiram alcançar o Egito e revelaram aos sacerdotes de lá todo o conhecimento da misteriosa civilização Atlante. 
Para evitar o mau uso de todos esses conhecimentos, os sacerdotes egípcios os revelavam apenas a seus discípulos. No entanto, essa precaução aumentou quando o Egito passou a ser invadido por outros povos. A fim de preservar seus conhecimentos, os sacerdotes decidiram gravá-los em lâminas de metal, sob a forma de símbolos, que só poderiam ser compreendidos por aquele que lograssem decifrá-los.
O tarô foi criado desta maneira, reunindo um conjunto de figuras, desenhos e símbolos, em 78 cartas, que resumem informações a respeito da história das religiões, do saber humano e da relação do homem com a energia de Deus.
O tempo foi passando e o tarô tornou-se mais conhecido como um instrumento divinatório e de leitura do destino. Os pesquisadores dizem que usar as cartas do tarô apenas como uma espécie de passatempo, é perda de tempo. Eles afirmam que as laminas ajudam a desvendar todos os mistérios do homem, da natureza e de Deus. O tarô, desde que foi concebido, passou por várias mudanças e influências, dependendo do pais onde era usado, mas, mesmo assim, manteve sua função original: um instrumento que servia a ocultistas e magos, conservando alguns de seus símbolos originais.
As cartas de tarô foram redesenhadas diversas vezes em várias versões e mostram figuras do Egito antigo, influências de ciganos, caracteres do alfabeto hebraico e de outros tantos povos. No século XVIII, na França, surgiu a versão do Tarô conhecida até hoje como o tarô de Marselha, muito popular no mundo inteiro.
O tarô também passou a chamar a atenção de cientistas, como o psicólogo Carl Gustav Jung, de origem suiça, nascido no ano de 1875. Após uma ampla análise dos símbolos e mitos em diversas religiões, somou suas pesquisas com as experiencias clínicas e acabou desenvolvendo a teoria do inconsciente coletivo, que diz que todos os seres humanos teriam, em sua mente inconsciente, símbolos, referências, vontades e medos iguais, uns em relação aos outros.
Por fim, Jung percebeu que o Tarô dispunha desses símbolos, presentes no inconsciente de todas as pessoas, e afirmou ser ele um eficaz instrumento para que o ser humano se conheça mais. Até hoje, os ensinamentos ocultos nas 78 cartas são constantemente pesquisados e há muito para se ler a respeito do assunto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cigana Esmeralda, Nomes ciganos, significados e dominações...

Numerologia cigana e espírito cigano guardião

Usos, costumes e crenças do povo das estrelas...Parte II